Biografia

Por entre encostas e colinas, o balir dos animais funde-se com a frescura compassada do rio. Os afazeres do dia são interrompidos e as pessoas, profundas no seu saber, encontram-se com o pretexto de tocar e dançar. Conversas proibidas recomeçam.  O vinho rega os desejos e solta as vontades; o pão alimenta a força da folia e o azeite oleia os corpos curtidos pelo cansaço da terra. Tudo está alinhado para que, no Eiró, o encontro aconteça.

Avançamos uns anos, os animais e os campos dão lugar a máquinas e prédios. Já não há um comprometimento diário com o trabalho agrícola ; mas os corpos continuam cansados e as gentes precisam ainda, talvez ainda mais, do momento em que se reencontram. Encontros simples, sublimes, despojados da vivência regular da passagem do dia. Já não há terreiros, já não precisamos de desfolhar o milho para entreter a voz; o espaço central dos lugares habitados foram tomados por outras vidas.

Da vontade de 6 músicos nasce Eiró, este não lugar feito por gentes e vivências actuais que buscam a profundidade da música de Raiz Tradicional Portuguesa. Em tom de festa, Eiró convida a uma viagem por Portugal onde a celebração da palete sonora dos passo dobles, chulas e viras é o mote principal.  Mais do que o prefixo “Re”, como revisitação ou reinvenção, Eiró exprime Portugalidade.

Somos 3 homens e 3 mulheres, nascidos nestas terras e viajantes do mundo. Vivemos na cidade com um coração de serra, passeamos por entre as avenidas com o olhar memorizado dos caminhos de terra. Fazemos a ponte entre os nossos antepassados e os filhos que virão, a música é a nossa fala e Eiró o espaço onde conversamos.

Membros

Maria Mendonça – Voz, Violino e pequenas percussões

Nasceu em Seia, em 1994. Iniciou os seus estudos musicais, aos oito anos, tendo aulas de piano e violino, no Conservatório de Música de Seia, que frequentou até ao 6.º grau. A partir de 2010 passou a estudar piano no Conservatório Regional de Coimbra, onde teve aulas de canto e concluiu o curso complementar (8.º grau) de piano. Frequenta o curso superior de Música – Variante Piano, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto.

Ricardo Coelho – Gaita-de-foles (Galega, Mirandesa e Transmontana), Flautas, Requinta Galega, Adufe, Pandeireta e Caixa tradicional

Nascido em 1979, em Vila Nova de Gaia. Iniciou aulas privadas de piano clássico com 11 anos de idade e aos 19 começa com a sua auto-aprendizagem em Gaita-de-foles, tendo sido acompanhado mais tarde pela professora galega, Maria Xosé López Villar.
Participou como gaiteiro e flautista nos grupos “Arrefole” de 2000 a 2005, “Bailebúrdia” 2005 a 2009, “Lúmen” de 2005 a 2007, “Trovas de Amigo” de 2008 a 2009 , “Míscaros” 2008 a 2012 e “Pé na Terra” de 2005 a 2015.
Actualmente, participa nos grupos,“Criatura”, “Karrossel”, “Zingamocho” e recentemente a “Eiró“.
Com 7 álbuns editados entre 2006 e 2015 e inúmeras participações em discos como convidado.
Paralelamente dá aulas de Gaita-de-foles desde 2004, na região norte e centro de Portugal.
Em 2015 entra para Academia de Artes de Chaves como docente no curso de Música Tradicional a lecionar Gaita-de-foles e na Escola de Música tradicional do Larouco.
Fundou e dirige o projecto “Gaiteirus.com”, que tem como propósito o estudo e divulgação da Gaita-de-Foles em Portugal.

Tiago Candal – Concertina, Voz e Caixa tradicional

Inicia o seu percurso musical na escola de música ‘O Bando dos Gambozinos’ onde estuda piano, canto, expressão dramática, composição, entre outros. Em 2011 ingressa no curso de Produção e Tecnologias da Música na ESMAE que conclui três anos mais tarde. Paralelamente, frequenta o Conservatório de Música do Porto em Canto Clássico com a Professora Palmira Troufa e estuda composição com Fernando Lapa. Realizou também diversas formações de liderança artística e trabalho musical com comunidades (XFAM, Serviço Educativo da Casa da Música; Ethnofonik, Paris, Alors on Le Fait).
Desde 2013 que se dedica ao estudo da concertina tendo-se apresentado em diversos festivais de música tradicional do país assim como em Espanha, França, Bélgica e Inglaterra.
Actualmente frequenta o Mestrado em Teoria e Composição Musical na ESMAE, Porto.

Pedro Ribeiro – Castanholas de Freamunde, Bombo, Tarola e Caixa tradicional

Pedro Ribeiro, nascido a 2 de Abril de 1970, em Freamunde. Fez a sua formação musical na Escola Infantil de Música de Freamunde, onde fez a sua formação e onde tocou na sua Orquestra Orff. Ingressou na Banda de Freamunde com 12 anos, onde tocou até aos 18 anos, tendo depois ingressado na Banda de Lousada onde tocou duas temporadas. Foi baterista da banda rock Boca Mansa, das bandas de versões de música ligeira, pop e rock S. Domingos e D’Alma e Coração. Diretor musical e criador em 2004 das Castanholas de Freamunde – Pedaços de Nós. Na mesma associação, Pedaços de Nós, foi percussionista do grupo de percussão Ecosons, com reaproveitamento de materiais e do Pedasons , orquestra de percussão tradicional. Desde 2012 que trabalha em Expressão Musical em Creches, Infantários e com a terceira idade, em instituições particulares de solidariedade social. Em 2016 concluiu o Curso de Animador Musical no Serviço Educativo da Casa da Música e apresentou pela primeira o projecto de concertos interactivos com bebés, crianças e papás, Amigo Pedro & a Criançada.

Liliana Abreu – Bombo, Triângulo, Adufe e Voz

Liliana Abreu fez a sua primeira incursão no teatro com 14 anos.Tendo trabalhado em várias realidades distintas, facilitou e orientou sessões de Teatro com crianças e jovens, idosos e grupos caracteriais. Depois de um ano de trabalho nos Andes Peruanos regressou a Portugal para desenvolver um projecto de Sustentabilidade através da Arte. A vertente mais marcante do seu trabalho tem sido a arte em contexto de comunidade, quer em contexto urbano, quer em contexto rural. Foi criadora e coordenadora do projecto enRed´Arte.Organizou o primeiro festival de teatro do Concelho de Amarante, de nome ETC(encontro de teatro e comunidade), com cerca de 11 grupos de teatro, todos criados pelo projecto enRedarte, acima referido. Actualmente, dá aulas no Conservatório de Chaves. A Música é um desafio novo na carreira artística, tendo começado a dedicar-se à percussão tradicional desde 2014, essencialmente em formações tradicionais de Gaita, Caixa e Bombo. A relação com a música tem uma profundidade que reside na recolha e no repertório tradicional português, sendo esta a base de aprendizagem, ouvir, integrar e tocar.

Isabel Martinez – Gaita Galega, Flautas Tradicionais, Adufe e Voz

Nasceu em 1992, no Porto. Aos 17 anos integra um grupo de artes circenses e animação de rua, onde desenvolve o interesse pela música tradicional, percussão e gaita-de-foles. Pouco depois inicia o estudo de gaita-de-foles com Ricardo Coelho, com quem tem vindo a tocar desde então. É licenciada em Teatro pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, onde frequenta actualmente o Mestrado em Interpretação e Direcção Artística.

Share:
Todos os direitos reservados a eiró 2017